20 de jul de 2010

Uma Palavra aos meus irmãos Assembleianos - Devocional

-->

“Homens mortos produzem sermões mortos, e sermões mortos matam.” ( E. M Bounds)

Está mais do que patente aos nossos olhos, a inexistência da pura e autêntica mensagem do Evangelho nas mensagens de muitos pregadores da Igreja atual, mormente na denominação da qual faço parte: Assembleia de Deus. Duvido de suas vocações. Precocemente, os homens, ainda em tenra idade, aventuram-se em se auto-intitularem de pregadores. Entretanto, tão logo se manifestam, estes são deflagrados como falsificadores da fé, quando ouvimos suas mensagens diametralmente distantes das Escrituras. A superficialidade bíblica estarrece, o despreparo teológico envergonha, a ausência de piedade denuncia o pragmatismo. Deus ordena-nos que preguemos todo o seu conselho. Insta-nos que perscrutemos seu poço inesgotável e alçamo-nos dele com a virtude do seu conhecimento para o Louvor de sua Glória. Mas ao contrário da recomendação bíblica que compete aos seus genuínos despenseiros, os pregadores atuais, ou os conferencistas, como gostam de ser ovacionados, desejam esbanjar a luxúria de suas roupas, a suntuosidade de seus templos, a arrogância diante de seus seguidores e a beligerância com suas agendas acirradas. Não foram essas as qualidades do obreiro ressaltadas pela Escritura. Deus chamou o velho apostolo à pena, não para revelar-lhe o trivial, senão para exortar á Timóteo e a nós, revelando-nos a verdadeira alçada dos que por Deus são vocacionados ao ministério de sua Santa e inegociável Palavra:

“Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.” 2 Tm 2.15

“Conjuro-te, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina.” 2Tm 4.1,2

“Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido, e que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus.” 2 Tm 3.15,16

Amados irmãos, atentem-se para isso urgentemente: A evidência do ministério da pregação em uma pessoa não se revela por sua agenda superlotada; nem por suas roupas desprezíveis e pomposas, nem por suas mensagens que de pronto, digo-vos, são ocas e artificiais; mensagens que nada produzem, mas que se constituem em um crasso apelo ao emocionalismo, ao antropocentrismo, ao egocentrismo, mensagens que não solidificam, não fortificam àqueles que as ouvem; Não firma os artelhos dos dilapidados, nem inclina os ouvidos dos mortos ou oscilantes de fé. Suas mensagens não são frutos de horas dedicadas ao escrutínio bíblico, não carregam o peso da doutrina bíblica, nem denunciam nossa impiedade que labora contra Deus, não arvora contra o pecado dos homens, nem superestima a redenção do Deus encarnado. Suas mensagens tripudiam do livro sagrado, menosprezam a riqueza incomensurável das Escrituras a nós dispensada, bem como dão de ombros a ordenança do Eterno a nos intimar:

“Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem se glorie o forte na sua força; não se glorie o rico nas suas riquezas, mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me entender e me conhecer, que eu sou o SENHOR, que faço beneficência, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR. Jr 9.23,24

Suas mensagens temporizam sorrisos nos rostos tirando os milagres de suas cartolas bem engendradas, criando seus fãs de milagres, "caçadores de Deus", tais como os caçadores de João Seis. Na ocasião, após terem sua fome saciada pelo milagre da multiplicação, que se decorreu tão somente da misericórdia do Senhor Jesus, os fanáticos por milagres passaram a segui-lo. Mas quando lhes fora revelada às exigências do Evangelho, seus motivos escusos foram descobertos, pois o Mestre levantou o tapete, desnudando aos seus olhos suas intenções efêmeras e materialistas:

"Jesus respondeu-lhes, e disse: Na verdade, na verdade vos digo que me buscais, não pelos sinais que vistes, mas porque comestes do pão e vos saciastes. Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque a este o Pai, Deus, o selou. (João 6.26).

De alvissareiros por milagres, nos os vemos agora titubeando sobre as palavras duras de Jesus, pelo que o abandonaram. Não eram seguidores de Jesus, mas de seus milagres. Não é isso que vemos se repetindo ininterruptamente em nosso meio? As pessoas não são cristãs, porque confessam Cristo, desejando viver ternamente para o senhor que as salvou. Mas elas, mercadejadamente “servem” a Deus, em decorrência das “bençãos recebidas” em detrimento da genuína mensagem, relegada a últimos planos pelos pregadores que se ocupam mais em manipular a massa prometendo-lhes milagres mil, do que a anunciar o evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. No conteúdo das mensagens da maioria dos pregadores que elencam em nossa denominação não há cruz, Amor de Deus, Ira de Deus, Graça Imerecida, Redenção, Eleição, Regeneração, Expiação, Justificação, Arrependimento, Vida, Lutas, Adversidades, Lágrimas, Redenção, Céu e Inferno. Eles não submetem seus sermões à palavra de Deus. Diante deste declarado abandono, disse E.M Bounds, em defesa à genuína mensagem e ao genuíno pregador:

“O homem – o homem todo é a razão por trás de um sermão. A pregação não é algo que se faz em durante uma hora, é sim o fluir de uma vida. São necessários vinte anos para ser preparar um sermão, porque são necessários vinte anos para fazer o homem.”

William Booth (1829-1912) foi um Pregador metodista britânico, que desbravou o mundo com o Exercito da salvação. Quando lhe interrogaram quais seriam os perigos doutrinários do século 20, sem hesitar, ele respondeu: “Religião sem Espírito Santo, Cristianismo sem Cristo, perdão sem arrependimento, salvação sem novo nascimento, política sem Deus e céu sem inferno.”

O Profeta estava certo. Deus descortinou-lhe o século vindouro, e ele anteviu a apostasia da atualidade. Hoje, alguns não entendem a regressão dos congregados, a artificialidade de crentes que parecem ímpios, ou, as “desistências” de muitos, que por ocasião das coisas vãs deste mundo, vivem sem a presença de Deus. A razão disso é a ausência da mensagem da Cruz:

Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus. (1 corintios 1.18).

E pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades. (Efésios 2.16).

Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo. (Gálatas 6.14)

Porque Cristo enviou-me, não para batizar, mas para evangelizar; não em sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo se não faça vã. (1 Coríntios 1.17)

Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus. ( Hebreus 12.2)

O que eles pregam, é corrompido, fraudulento, mesquinho e vil. Maniatam incautos com promessas que tolhem o povo. Ludibriam inocentes com negociatas falaciosas. Não podem ser arautos da verdade. A estes não foi entregue a mordomia da mensagem do Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. Chavões com contorcionismo depreciam o que deveria ser um culto a Deus. De gratuito dom de Deus eles o decrescem ao sujo mercado do toma-lá-da-cá. 

“Porque os tais são falsos apóstolos, obreiros fraudulentos, transformando-se em apóstolos de Cristo” (2 Co 11.13).

“Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras...” (2 Pe 2.1).

“Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora” (1 Jo 4.1).

“Porque esses tais não servem a Cristo, nosso Senhor, e sim a seu próprio ventre; e, com suaves palavras e lisonjas, enganam o coração dos incautos” (Rm 16.18).

Mas por que não pregam a cruz, mesmo sendo esta a espinha dorsal do Evangelho? Simples, a impopularidade da mensagem da cruz não converge em dinheiro para os profissionais da fé. Não se consegue construir ministérios ricos pregando a mensagem da cruz. Sujeitar os ouvidos das multidões que estão prontas a lhes nomearem um rei, à mensagem da cruz, é trafegar sobre a possibilidade de muitos o abandonarem, simplesmente por acharem dura tal mensagem, e isso não produzirá tapinhas nas costas e contas gordas, como resultado de uma agenda superlotada. A cruz transforma vidas, liberta o ser da escravidão do Pecado, tal mensagem é tão de graça, que para muitos é inconcebível compreendê-la desse modo, e em razão disso apimentam-na ao seu bel prazer, transformando-a em ninharia que não vale um vintém. Mas para aqueles que conhecem o cerne do evangelho, e dele provaram, para aqueles que Por Deus foram regenerados, e por meio dele e para Ele entregaram suas vidas em seu regaço, compreendem sua magnitude, e em razão disso anunciam como arautos da verdade o evangelho, e são constrangidos a dispensá-lo sobre o mundo, pois o Espírito os inquieta:

“Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo.” Gl 6.14

E os que por Deus são preparados a se tornarem o solo fértil dessa boa semente, crescem no conhecimento do evangelho, e mesmo que em momentos de provações não haja pão e nem peixe para a fome saciar, e mesmo que a beleza dos montes cedam seu lugar a desolação dos vales, estes se prostram a Deus, e com convicção o adoram dizendo:

“Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna.” (João 6.68).

Graça e Paz
Mizael Reis



9 comentários:

  1. Mizael,

    Texto cheio de indignação santa, pois a palavra de Deus não pode ser usada, em Seu nome, por aqueles que não O temem nem O reverenciam.

    Infelizmente, a regra de se pregar outro evangelho não é exclusividade da A.D., mas de praticamente todas as denominações, inclusive históricas. É, como você disse, fruto do antropocentrismo, e da relativização do texto bíblico, que invariavelmente ocasionará a perdição de quem não se render ao senhorio de Cristo.

    Parabéns pela iniciativa do blog.

    Estarei sempre por aqui.

    Cristo o abençoe!

    Grande abraço, meu irmão!

    ResponderExcluir
  2. Eta Glória a Deus!!!

    Gostei muito querido do que escreveu, de certa forma conseguiu trazer uma realidade que vive muitos pregadores em nossas igrejas (muitos, pois não são todos)evangélicas hoje.
    Acredito veemente que Deus tem levantado profetas para essa última hora da igreja aqui na terra, e você faz parte. Então, continue profetizando segundo a bendita Palavra de Deus.

    Rapaz confesso que estava querendo convidá-lo para pregar na minha igreja, só que você fala muito difícil. Lhe convidarei se prometer falar de uma maneira mais simples.
    Risos.

    Parabéns continuem assim, pois "Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça;
    para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra(IITm.3.16-17).

    ResponderExcluir
  3. Ednaldo,


    Obrigado por sua visita e comentário.

    Graça e Paz
    Mizael Reis

    ResponderExcluir
  4. Jorge,

    Agradeço-lhe a sua nobre visita e por suas palavras de incentivo. É um honra tê-lo por aqui também.

    Graça e Paz amigo,
    Mizael Reis

    ResponderExcluir
  5. Jean,

    É bom tê-lo por aqui. agradeço-lhe pelas palavras de coragem e incentivo. Sobre a forma de falar, aqui é onde imprimimos nossos pensamentos, e para tanto, valemo-nos também da argumentação, normal quando se pretende alcançar a todos com objetividade. Quando ministrando a palavra de Deus, temos o povo a nossa frente, e para eles pregamos a palavra de Deus na forma que compreendam. É como disse C.S Lewis: "Deus nunca se faz de filósofo diante de uma lavadeira"

    Graça e Paz
    Mizael Reis

    ResponderExcluir
  6. Paz do Senhor Mizael!!!

    Quero lhe convidar para um debate que estamos tendo, será um prazer te-lo la.

    http://novotempo.com/namiradaverdade/

    Um grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  7. Paz do Senhor Mizael!!!

    Estou lhe convidando para um congresso da EBD em minha igreja que será de 26-28 de Novembro.
    Quero lhe convidar para o dia 26 de novembro.
    Tema: "Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. Mt 4v4"
    Subtema:"Transformando o mundo pela palavra de Deus"

    Se aceita o convite pregará nesse sub-tema.
    Um grande abraço de seu irmão e consevo em Cristo,
    Jean Patrik

    Graça e Paz do Senhor Jesus!!!

    ResponderExcluir
  8. Jean,

    Será um prazer ministrar a Palavra do Senhor. Me ligue, e conversaremos mais à respeito.

    Graça e Paz
    Mizael Reis

    ResponderExcluir